AVALIAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DAS REJEIÇÕES DOS DOADORES DE SANGUE EM UM BANCO DE SANGUE DE CASCAVEL EM UM PERÍODO DE SEIS ANOS

Autores

  • Greicy Kiel
  • Jean Luiz Campos
  • Juliana Bordignon

Resumo

A segurança da transfusão sanguínea depende de uma série de fatores, que em conjunto, podem proporcionar melhor qualidade do procedimento como um todo. Dentre esses fatores, os mais importantes são a seleção dos doadores, a triagem clínica, a realização dos testes imunohematológicos, e a triagem sorológica. Com o objetivo de analisar as causas de inaptidão de doadores de sangue num Banco de Sangue de Cascavel, PR, foram analisados os registros de inaptidão da triagem clínica e sorológica dos doadores entre janeiro de 2004 a dezembro de 2009. Após tal análise foi possível perceber que dos 117.490 candidatos a doação, 20.198 (17%) foram considerados inaptos na triagem clínica sendo os principais motivos detectados: anemia, contato sexual com parceiro não fixo, hipertensão arterial sistêmica, exclusão medica e ferimento com material contaminado com sangue. Das 87.595 doações submetidas a triagem sorológica 9697 (11%) mostraram-se inaptas, ou seja, 25% das possíveis doações foram rejeitadas por inaptidão, sendo na sua maioria por reação positiva quanto a Anti-HBc, muitos dos quais desconheciam sua contaminação. Tais dados foram relevantes, uma vez que permitem redirecionar campanhas educativas e informativas a fim de aumentar o número de doadores voluntários e diminuir os índices de inaptidão.

Downloads

Publicado

2016-12-07

Edição

Seção

Saúde e Biológicas