INCIDÊNCIA DE DISPLASIA BRONCOPULMONAR EM RECÉM-NASCIDOS NA UTI NEONATAL DO HOSPITAL SÃO LUCAS DE CASCAVEL/PR

Autores

Resumo

Introdução: A Displasia Broncopulmonar (DBP) é classificada como uma doença pulmonar crônica, multifatorial, a qual possui critérios diagnósticos ainda não bem definidos. A DBP causa dano ao desenvolvimento pulmonar – consequentemente ao nascimento prematuro e à imaturidade pulmonar – e neuropsicomotor.

Objetivos: Avaliar o uso do suporte ventilatório por recém-nascidos em Unidade de Terapia Intensiva neonatal e consequente surgimento de displasia broncopulmonar. Relacionou-se a ocorrência de DBP com a idade gestacional de nascimento. Associou-se o uso de suporte ventilatório por período prolongado com a DBP. Discutiram-se os aspectos clínicos e etiológicos gerais da doença.

Metodologia: Trata-se de um estudo observacional retrospectivo composto por dados resultantes da análise de prontuários de pacientes da UTI neonatal do Hospital São Lucas de Cascavel. Foram analisados os prontuários dos recém-nascidos internados por mais de 28 dias que fizeram uso de suporte ventilatório.

Resultados: Foram encontrados dados que confirmam a relação da maior incidência de DBP quanto menor a idade gestacional de nascimento. Dos casos analisados nessa pesquisa 82,5% tinham IG inferior a 33 semanas. Foi comprovada relação, também, com o baixo peso ao nascimento, sendo que apenas 5% dos pacientes apresentaram peso adequado ao nascimento. Com relação aos fatores de risco, pode-se citar: Doença da Membrana Hialina (DMH), 57,5% dos participantes do estudo apresentaram a doença; Persistência do Canal Arterial (PCA), houveram 42,5% dos pacientes com diagnóstico dessa doença e presença de infecções ou inflamações, sendo a mais prevalente a sepse neonatal, afetando 92,5% dos pacientes analisados.

Downloads

Publicado

2023-11-21